Cientistas Brasileiros

Câmara Cascudo

Advogado, Jornalista e Antropólogo (1898-1986)

Luís da Câmara Cascudo nasceu em Natal, a 30 de dezembro de 1898, onde viveu 88 anos. Desejou ser médico de província e chegou a cursar os primeiros anos de Medicina na Bahia e no Rio de Janeiro, mas acabou cursando Direito, na velha faculdade do Recife, com o sonho de ser jornalista. Seu pai nessa época ainda era um homem rico e lhe instalou o jornal A Imprensa.

Carlos Chagas

Médico (1878-1934)

Carlos Ribeiro Justiniano das Chagas nasceu na Fazenda Bom Retiro, cidade de Oliveira, em Minas Gerais, em 9 de julho de 1878. Graças à convivência com os tios maternos (advogados e médicos), procurou aprofundar seus estudos interessando-se pela medicina. Doutorou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro escolhendo como tema de pesquisa, a malária. Em abril de 1909, comunicou ao mundo científico a descoberta de uma nova doença humana, que ficou conhecida como Doença de Chagas.

Amoroso Costa

Físico (1885-1928)

Manoel Amoroso Costa nasceu no Rio de Janeiro, em 13 de janeiro de 1885, tendo estudado nos melhores colégios da época. Formou-se em Engenharia Civil, em 1905, pela Escola Politécnica e, no ano seguinte, colou grau como bacharel em ciências físicas e matemáticas. Atuou profissionalmente em várias áreas: como engenheiro, na construção de pontes, como professor catedrático em Trigonometria Esférica, Astronomia Teórica e Prática de Geodésia.

Carlos Chagas Filho

Médico e Biofísico (1910-2000)

Carlos Chagas Filho nasceu no Rio de Janeiro a 12 de setembro de 1910. Realizou seus primeiros estudos no Colégio Resende e ingressou em 1926 na Faculdade Nacional de Medicina, formando-se em 1931, quando já era estagiário de laboratório no Instituto Oswaldo Cruz. Em 1935, tornou-se livre-docente pela Faculdade de Medicina e em 1937 obteve por concurso a cátedra de física biológica da mesma faculdade. Foi supervisor do Serviço Especial de Grandes Endemias do Instituto Oswaldo Cruz em 1941-1942.

Florestan Fernandes

Sociólogo (1920-1995)

Florestan Fernandes nasceu em 22 de julho de 1920, na cidade de São Paulo. Filho de uma imigrante portuguesa, analfabeta e empregada doméstica, teve uma infância pobre no Brás, morando em pensões e quartos de empregada. Aos 6 anos, para ajudar a mãe, começou a trabalhar como engraxate, ajudante de barbeiro, carregador e balconista de bar. Com grandes dificuldades em conciliar o trabalho com o estudo, parou de estudar no terceiro ano primário.

Celso Furtado

Economista e Advogado (1920-2004)

Celso Monteiro Furtado nasceu em Pombal, na Paraíba, em 26 de julho de 1920. Foi um dos mais importantes economistas do século XX e um grande intelectual brasileiro. Foi jornalista, advogado, doutor em Economia, 2º tenente da FEB, membro da CEPAL. Celso Furtado foi professor de grandes universidades na Europa e nos Estados Unidos, embaixador do Brasil junto à Comunidade Européia e ministro da cultura na Nova República.

Gilberto Freyre

Antropólogo (1900-1987)

Gilberto de Mello Freyre nasceu em 15 de março de 1900, filho de um juiz de direito e professor de economia da Faculdade de Direito de Recife, sua cidade natal. Gilberto fez seus estudos universitários nos Estados Unidos, defendendo dissertação de mestrado, em 1922, na Universidade de Columbia, sob o título ‘Social life in Brazil in the middle of the 19th century’ (A vida social no Brasil, nos meados do século XIX), onde a escravidão surgia como seu objeto privilegiado de pesquisa. De volta ao Recife no ano seguinte, organizou o I Congresso Brasileiro de Regionalismo, lançando o Manifesto Regionalista, cuja orientação influenciou uma série de escritores nordestinos.

Djalma Guimarães

Geólogo (1894-1973)

Djalma Guimarães nasceu em Santa Luzia (MG), em 1894, onde iniciou seus primeiros estudos, transferindo-se, posteriormente, para o Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro. Formou-se engenheiro de minas e civil no ano de 1919, na Escola de Minas em Ouro Preto. Como cientista, atuou em quase todas as áreas das geociências. Na mineralogia, realizou diversos estudos analisando e descrevendo novos minerais especialmente, os nióbo-tantalatos. Descreveu dois meteoritos: Serra do Magé (PE), em 1927, juntamente com Luciano Jacques de Moraes, e, em 1958, o Patos de Minas, (MG), que foi recolhido no córrego do Areado. Demonstrou preferência pela PE, iniciando em 1929 o estudo das rochas graníticas, desenvolvendo uma nova concepção da gênese delas.

Johanna Döbereiner

Agrônoma (1924- 2000)

Johanna Liesbeth Kubelka Döbereiner nasceu em 28 de novembro de 1924 na então Tchecoslováquia. Formada em Engenharia Agrônoma pela Universidade de Munique, em 1959, pós graduou-se em Wisconsin, em 1963. Em 1951, já havia se transferido para o Brasil, onde se naturalizou e foi contratada pelo Instituto de Ecologia e Experimentação Agrícola, hoje Centro Nacional de Pesquisa de Agrobiologia da Embrapa.

Josué de Castro

Geógrafo (1908-1973)

Josué Apolônio de Castro nasceu em 5 de setembro de 1908, na cidade de Recife. Concluiu o curso de Medicina pela Universidade do Brasil em 1929 e três anos depois se tornou livre docente em Fisiologia, da Faculdade de Medicina do Recife. Josué de Castro é uma destas figuras marcantes de cientista que teve uma profunda influência na vida nacional e grande projeção internacional nos anos que decorreram entre 1930 e 1973.

Cesar Lattes

Físico (1924-2005)

Cesare Mansueto Giulio Lattes nasceu em Curitiba em 1924 e estudou no Departamento de Física da Faculdade de Filosofia e Ciências e Letras da USP, concluindo o Bacharelado em 1943 e recebendo, desta Universidade, o Título de Doutor Honoris Causa em 1948. Foi Professor Titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro, do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas e da Universidade Estadual de Campinas.

Aristides Leão

Biofísico (1914-1993)

Aristides Azevedo Pacheco Leão nasceu em 3 de agosto de 1914 na cidade do Rio de Janeiro, e desde criança foi influenciado pelo tio Antônio Pacheco Leão, então diretor do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, que despertou em seu espírito o interesse pela biologia, botânica e ornitologia, que o acompanharia por toda a vida. Mas, naquela altura, Aristides queria ser médico e ingressou na Faculdade de Medicina de São Paulo, quando no segundo ano, adoeceu gravemente, sendo surpreendido por um diagnóstico de tuberculose. Permaneceu dois anos afastado dos estudos, até 1940, quando recuperado, viajou para os Estados Unidos, se matriculando na Universidade de Harvard, em Cambridge, Massachusetts, no setor de Ciências Médicas (Fisiologia), onde obteve o mestrado em 1942 e o doutorado, em 1943.

Fernando Lobo

Engenheiro (1913 - 2001)

Fernando Luiz Lobo Barboza Carneiro nasceu a 28 de janeiro de 1913, no Rio de Janeiro, passando a infância numa chácara na Gávea, então zona rural, sem freqüentar a escola. Seu pai, que era engenheiro, contratou uma professora e se incumbiu das aulas de matemática. Cursou a Politécnica da Universidade do Brasil, atual Escola de Engenharia da UFRJ, em 1934, especializando-se em estruturas, sempre se destacando nos estudos. Um de seus trabalhos mais importantes é o ensaio que virou referência internacional na determinação da resistência dos concretos à tração dos ventos. Também desenvolveu um método de dosagem experimental de concretos, além de participar de construções como a do edifício da Faculdade de Arquitetura da UFRJ, a ponte rodoviária sobre o rio Doce (Ponte Nova, MG) e do interceptor oceânico Glória-Botafogo, no Rio de Janeiro.

José Leite Lopes

Biofísico (1918-2006)

José Leite Lopes nasceu em Recife, Pernambuco, a 28 de outubro de 1918, concluiu seus estudos secundários no Colégio Marista, em sua cidade natal, em 1934. Bacharelou-se em Química Industrial na Escola de Engenharia de Pernambuco, em 1939. Influenciado por seu grande mestre Luiz Freire, deu início aos seus estudos de Física no Rio de Janeiro. Em 1940, ingressou no Curso de Física da Faculdade Nacional de Filosofia, Rio de Janeiro, concluindo-o em 1942 e trabalhando nesse mesmo ano, a convite do Professor Carlos Chagas, no Instituto de Biofísica. Logo após, conseguiu uma bolsa do Governo dos Estados Unidos e fez seu doutorado na Universidade de Princeton, onde fez sua tese sob a orientação de Wolfgang Pauli (Prêmio Nobel de Física), durante os anos de 1944 e 1945.

Adolpho Lutz

Médico (1855-1940)

Adolpho Lutz nasceu no Rio de Janeiro, em 18 de dezembro de 1855. Filho de imigrantes suíços chegados ao País no início de 1850, período considerado como o auge da epidemia de febre.

Bertha Lutz

Bióloga, Advogada e Ativista Feminista (1894 – 1976)

Bertha Maria Júlia Lutz nasceu em São Paulo, em agosto de 1894. Bióloga de profissão era filha do cientista e pioneiro da Medicina Tropical Adolfo Lutz e da enfermeira inglesa Amy Fowler. Ainda adolescente, tomou contato com a explosiva campanha sufragista inglesa. Licenciou-se em 1918 em Sciences (ciências naturais) em Paris, na Sorbonne, com especialização em anfíbios anuros.

Graziela Maciel Barroso

Botânica (1912 – 2003)

A botânica Graziela Maciel Barroso é uma referência na área de sistemática de plantas, um ramo da botânica dedicado a descobrir, descrever e interpretar os diversos tipos de vegetais. Responsável pela catalogação de vegetais das diferentes regiões do Brasil, tem cerca de 25 plantas batizadas com seu nome e é responsável pela formação de gerações de biólogos.

Henrique Morize

Físico (1860-1930)

Henrique Charles Morize nasceu em Beaune, na França, a 31 de dezembro de 1860. Até os quinze anos de idade permaneceu em seu país natal quando, em 1875, veio para o Brasil na companhia de parentes. Devido às dificuldades econômicas por que passava a França, a família decidiu emigrar para o Brasil e aqui tentar uma vida melhor. Mas, mesmo em São Paulo, onde se fixaram, as dificuldades econômicas continuaram a prejudicar a vida da família Morize.

Fritz Muller

Naturalista e Matemático (1822-1897)

Johann Friedrich Theodor Müller nasceu em Erfurt, na Alemanha, em 31 de março de 1822. Foi um grande naturalista (zoólogo de invertebrados, botânico), professor de matemática e ciências naturais. Foi pioneiro no apoio à teoria da evolução apresentada por Charles Darwin. Fritz Müller trocou cartas com diversos cientistas de todo o mundo. Foi reconhecido mundialmente pela publicação de ‘Fatos e argumentos a favor de Darwin’, em 1864, cinco anos após Charles Darwin publicar ‘On the origin of species by means of natural selection’.

Leopoldo Nachbin

Matemático (1922-1993)

Leopoldo Nachbin nasceu em 7 de janeiro de 1922 no Recife (PE). Mudou-se para o Rio de Janeiro com a mãe para estudar matemática na Universidade do Brasil em 1939, na Escola Nacional de Engenharia (RJ), quando também assistiu aulas de matemática de alguns professores italianos, como ouvinte, na Faculdade Nacional de Filosofia.

Jacob Palis

Matemático (1940 -)

O matemático brasileiro Jacob Palis nasceu em Uberaba em 1940 e seu gosto pela disciplina já se manifestou desde criança. Em 1962, graduou-se em Engenharia na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nos anos seguintes, cursou seu mestrado e doutorado na Universidade de Califórnia, quando iniciou seus estudos em sistemas dinâmicos, que servem para modelar fenômenos evolutivos da natureza e de outras áreas.

Paulo Freire

Educador (1921 - 1997)

O educador Paulo Reglus Neves Freire nasceu no dia 19 de setembro de 1921, no Recife, onde sofreu com uma infância pobre. Deu suas primeiras aulas de Língua Portuguesa aos 18 anos, mas ainda tentou ser advogado. Formado, montou um escritório e passou um ano inteiro sem cliente. Em 1947, quando o índice de analfabetos era de quase 100% na área rural, ele assumiu a Divisão de Educação e Cultura do recém-criado Serviço Social da Indústria (Sesi), tendo como missão alfabetizar adultos do Estado.

Crodowaldo Pavan

Biólogo (1929-2009)

Crodowaldo Pavan nasceu a 29 de novembro de 1929, na cidade de Campinas (SP), filho de um industrial da área de porcelanas, Pavan começou a estudar geologia, pensando em assumir a empresa familiar, mas descobriu que tinha vocação para medicina quando assistiu uma palestra d geneticista André Dreifuss. Mais tarde, já formado em Biologia e História Natural pela Universidade de São Paulo (USP), Pavan foi aluno e assistente de Dreyfuss, um dos criadores da instituição e pioneiro nos estudos de genética e evolução no Brasil.

Elisa Frota Pessoa

Física (1921 -)

Começou a se interessar pela ciência em 1935, no Curso Ginasial na Escola Paulo de Frontin. Além de ser aluna de grandes nomes como Antônio Houaiss (Literatura), Raimundo Paesler (Física) e Osvaldo Frota-Pessoa (História Natural), sua maior influência foi o professor Plinio Süssekind da Rocha com quem teve aulas de física. Ele a acompanhava de perto e a orientava com novos temas a estudar. Ao término do ginasial quis estudar Engenharia. Foi quando ela se matriculou no curso de Física da Faculdade de Filosofia da Universidade do Brasil (hoje a Universidade Federal do Rio de Janeiro), graduando-se em 1942.

Alice Piffer Canabrava

Historiadora (1911 – 2003)

Entre 1935 a 1937, Piffer começou os cursos de História e Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Em 1937, licenciou-se em Geografia e História.

Darcy Ribeiro

Educador (1922-1997)

Darcy Ribeiro nasceu a 26 de janeiro de 1922, em Montes Claros, Minas Gerais. Quando completou 10 anos resolveu que tinha vocação para ser coroinha, e para convencer o padre da igreja de sua cidade, decorou todo o responsório da missa em latim. Superada a crise de religiosidade, dedicou-se a literatura para impressionar as garotas do colégio, com o cérebro, já que não tinha músculos, mergulhando durante horas a fio na biblioteca de seu tio.

João Barbosa Rodrigues

Botânico (1842- 1909)

Considerado um dos mais importantes naturalistas brasileiros, João Barbosa Rodrigues teve atuação expressiva como cientista na segunda metade do século XIX e primeira década do século XX. Nascido no Rio de Janeiro, em 22 de junho de 1842, filho de pai português e mãe de ascendência indígena, seu legado científico abrange estudos em história natural, botânica, etnografia, arqueologia, fisiologia e farmacologia, sendo de suma importância para a história do desenvolvimento da botânica e da ilustração científica no Brasil.

Milton Santos

Geógrafo (1926-2001)

Milton Santos nasceu em Brotas de Macaúbas, na Bahia, em 3 de maio de 1926. Foi alfabetizado pelos pais, professores primários e aos 13 anos aprendeu a falar francês. Aos 13 anos, Milton dava aulas de matemática no ginásio em que estudava, aos 15 começou a lecionar Geografia e, aos 18, prestou vestibular para Direito em Salvador.

Mário Schenberg

Físico e Crítico de Arte (1914 - 1990)

Mário Schenberg nasceu em 2 de julho de 1914, em Recife (PE), viveu grande parte de sua infância no Rio de Janeiro, mas foi na sua terra natal que ingressou na Escola de Engenharia, vindo a terminar o curso em São Paulo, na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, em 1936. Bacharelou-se em Matemática na primeira turma da recém criada Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP.

José Bonifácio de Andrade e Silva

Advogado e Filósofo (1763-1838)

José Bonifácio de Andrade e Silva foi um homem de ciência, de letras e de Estado. Nasceu em Santos, em 13 de junho de 1763, em uma das famílias mais ricas da região. Seu pai era um comerciante bem sucedido, exportador de açúcar, e coronel do Regimento de Dragões Auxiliares da Capitania de São Paulo. Sua mãe, filha de um fidalgo português, era conhecida como ‘mãe dos pobres’, por suas obras de caridade.

Maurício Rocha e Silva

Biólogo e Farmacologista (1910-1983)

Maurício Oscar da Rocha e Silva nasceu no Rio de Janeiro, em São Cristóvão, a 19 de setembro de 1910, filho do psiquiatra João Olavo da Rocha e Silva, sua primeira influência intelectual, e de Alzira Couto da Rocha e Silva. Aos dez anos mudou-se para o Rio, onde cursou o Colégio Pedro II. Em 1925, depois de concluir o terceiro ano, abandonou o colégio e começou os preparatórios para o ingresso na universidade.

Nise da Silveira

Médica (1905 - 1999)

Nise da Silveira nasceu em 1905, em Maceió, Alagoas. Foi a única mulher, entre os 156 alunos da Faculdade de Medicina da Bahia, que se graduou em 1926 com 21 anos. Em 1927 com a morte de pai, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde começou sua carreira em psiquiatria no hospital que na época era popularmente chamado de hospício da Praia Vermelha (hoje Hospital Pinel). Nunca aceitou as formas agressivas de tratamento de doenças, como a internação, eletrochoques e lobotomia, usadas à época.

Ruth Sonntag Nussenzweig

Bióloga (1928 -)

Nascida na Áustria, Ruth Sonntag Nussenzweig se graduou em medicina na Universidade de São Paulo. Trabalhou com o professor de parasitologia Samuel Pessoa e em colaboração com seu futuro marido Victor Nussenzweig. Ruth e seu marido são, sem dúvida, os dois mais importantes pesquisadores brasileiros sobre malária, e estão entre os principais do mundo.

Anísio Teixeira

Advogado e Educador (1900-1971)

Anísio Spínola Teixeira nasceu na cidade de Caetité, Bahia, em 12 de julho de 1900. Estudou em instituições jesuíticas, até o secundário, cogitando em entrar para a Companhia de Jesus. Mas o pai, que aspirava vê-lo na carreira política, mandou-o estudar no Rio o de Janeiro, onde Anísio ingressou na Faculdade de Direito da Universidade do Rio de Janeiro.

Ubiratan D’Ambrósio

Professor (1932 -)

O professor Ubiratan D’Ambrósio, desde a década de 1970, se dedica à área de Educação Matemática, por meio da participação nas atividades do Comitê Interamericano de Educação Matemática, do qual foi presidente. Foi nesse contexto que participou do processo de vinculação da Educação Matemática com aspectos socioculturais, relacionando a pesquisa em Educação Matemática com a História das Ciências em diferentes contextos.

Marta Vannucci

Bióloga (1921 –)

Marta Vannucci nasceu em 1921, em Florença, na Itália. Em 1930, chegou ao Brasil onde dedicou a vida a pesquisar os ecossistemas dos mangues, tornando-se uma das maiores especialistas do mundo no assunto. Uma das autoras da Carta dos Manguezais, Marta publicou diversos livros, entre eles ‘Os mangues e nós’.

Victória Rossetti

Agrônoma (1917 – 2010)

Victória Rossetti nasceu em outubro de 1917 no estado de São Paulo. Seu pai e avô traçaram suas carreiras em agronomia, o que influenciou seu ingresso à Escola Superior de Agricultura Luis de Queiroz, em Piracicaba (SP). Foi à primeira mulher a concluir um curso de agronomia no estado de São Paulo e a segunda no Brasil no ano de 1939. Desenvolveu toda sua carreira profissional no Instituto Biológico do estado de São Paulo.